Saúde

AAPE realiza Teste da Orelhinha gratuitamente

De acordo com dados do Ministério da Saúde, a surdez varia de 1 a 3 crianças em cada 1 mil nascidos

03 Fevereiro de 2014 - 14:17

Fonte: Assessoria Fonte: Assessoria

A audição é fundamental para o desenvolvimento das crianças. Qualquer perda na capacidade auditiva, mesmo que pequena, impede a criança de receber adequadamente as informações sonoras que são essenciais para a aquisição da linguagem.

Para descobrir se o bebê possui alguma perda auditiva, é fundamental que os pais façam o Teste da Orelhinha, ou Triagem Auditiva Neonatal, que é realizado já no segundo ou terceiro dia de vida. Esse exame consiste na colocação de um fone acoplado a um computador na orelha do bebê que emite sons de fraca intensidade e recolhe as respostas que a orelha interna do bebê produz.

Para que todas as crianças possam passar pelo teste, a Associação dos Amigos e Pais de Pessoas Especiais (AAPPE) conta com o apoio do Alagoas dá Sorte Solidário, por meio do Instituto Ativa Brasil, que patrocina a realização do exame. “De preferência, ele deve ser feito antes de o bebê e a mãe terem alta hospitalar, mas também pode ser feito até 48 horas após o nascimento”, explicou a coordenadora da área de saúde da AAPPE, Dilma Pinheiro.

Nos bebês nascidos de uma gravidez de risco e os prematuros, a aplicação do exame se torna ainda mais importante. Dilma Pinheiro explica que o Teste da Orelhinha é realizado com o bebê dormindo, é indolor e não machuca, pois dispensa picadas de agulha, e não tem contra indicações.

De acordo com dados do Ministério da Saúde (MS), em bebês normais, a surdez varia de 1 a 3 crianças em cada 1 mil nascidos, já em bebês de UTI Neonatal, varia de 2 a 6 em cada 1 mil recém-nascidos. A avaliação Auditiva Neonatal limitada aos bebês de risco é capaz de identificar apenas 50% dos bebês com perda auditiva. O exame é obrigatório e gratuito desde agosto de 2010

A AAPPE surgiu há mais de 20 anos e atua nos municípios de Maceió, Santana do Ipanema e Penedo, nas áreas da saúde, educação, assistência social e direito das pessoas com deficiência.

 

 

Fonte: Assessoria

Comentários (0)

Deixe seu comentário

O seu comentário será exibido após a aprovação da nossa equipe.