Voltar ao topo
s
Busca
Previsão do Tempo
Maceió/AL
Máx. 28° Min. 21°
Redes Sociais
Arapiraca
  • Orkut Button Share

Dezenas de alunos de Arapiraca podem ser prejudicados por emissões de diplomas irregulares

13 de Janeiro de 2014 07:49

Sandro Melo

Tamanho do texto A+ a-
       
Dezenas de alunos de Arapiraca podem ser prejudicados por emissões de diplomas irregulares

Foto: MPE

Dezenas de alunos de Arapiraca que possuem o diploma de conclusão do ensino médio emitidos pelo cursinho preparatório Marcelo Cursos poderão ser prejudicados, caso o inquérito que foi instaurado pelo Ministério Público Estadual de Alagoas (MPE/AL), através da 9ª Promotoria de Justiça de Arapiraca – Defesa do Consumidor instaurado em novembro de 2013 para apurar denúncias contra o estabelecimento de ensino comprovem que teria induzido os consumidores a obter certificados irregulares de conclusão do Ensino Médio e que os mesmos não estariam de acordo com as exigências estabelecidas pelo Ministério da Educação (MEC). 

O promotor Saulo Ventura revelou que o processo instaurado para averiguar as denúncias de emissões de certificados falsos do Ensino Médio pelo Marcelo Cursos de Arapiraca possui três frentes de trabalho para analisar as irregularidades apresentadas por dezenas de alunos. 

 “O Ministério Publico está atuando em três frentes. A primeira frente de trabalho está cuidando das fraudes que foram apresentadas por dezenas de alunos. Essa parte tem a participação da Polícia Civil. A segunda frente é a responsabilidade civil do Marcelo Cursos nas emissões desses certificados. A terceira parte do inquérito são as dezenas de alunos e ao mesmo tempo consumidores que não podem ser prejudicados. Eles foram vítimas e alguns deles já estão concluindo os seus respectivos cursos. Isso é um problema grave. A instituição está prejudicando dezenas de alunos.“Essa é uma denúncia grave. Ela deve ser apurada com o máximo de rigor possível, uma vez que envolve alunos que já terminaram o nível médio e ingressaram em algumas universidades de Arapiraca. Existem também estudantes que estão concluindo os seus respectivos cursos. Eles estão preocupados porque não tem certeza da legitimidade dos seus diplomas”, esclareceu Ventura. 

De acordo com o promotor, foram ouvidos o Marcelo Cursos, a Ufal e a 5ª Coordenadoria Regional de Ensino de Arapiraca e após isso, solicitamos mais informações e documentos para a Secretaria de Educação do Estado de Sergipe.“A secretaria de Educação de Sergipe tem um prazo de 20 dias úteis para enviarem as informações. Eles ainda não receberam, devido ao recesso da Justiça. Eu não diria falsos, mas os certificados não seriam legítimos. Tudo está sendo analisado. A Unopar foi a instituição que mais recebeu os alunos com os certificados falsos”, declarou.

Os estudantes informaram ao promotor Saulo Ventura de Holanda que a instituição garantiu a conclusão do Ensino Médio com a realização de um curso. Após frequentarem as aulas preparatórias, os consumidores foram levados a colégios das cidades de Estância e Propriá, ambas em Sergipe, sendo submetidos a uma avaliação. Na sequência, os alunos receberam os certificados de conclusões emitidos pela escola, que é onde consta a irregularidade.

“O Ministério Público Estadual irá ouvir as partes envolvidas com o objetivo de esclarecer esse caso e encontrar a melhor solução para que os alunos não saiam prejudicados,” afirmou o promotor. No final de novembro de 2013, a 9ª Promotoria de Justiça de Arapiraca realizou uma audiência pública com representantes do Marcelo Cursos e com a 5ª Coordenadoria Regional de Ensino.

Marcelo Cursos

A reportagem do Alagoas em Tempo procurou a sede do Marcelo Cursos em Arapiraca, porém ninguém do estabelecimento de ensino quis se pronunciar sobre as denúncias dos ex-alunos sobre as emissões de diplomas falsos.

Comunicar erros nesta notícia
  • Comente essa notícia

  • Comentários:

    Deixe seu comentário:













Serviços
© Copyright 2011 Alagoas em Tempo Real
VG/Web - Agência Digital