Alagoas

Corpos estão no chão do IML, em Maceió

Por Da redação, 22 Jun de 2012 - 13:45

Ilustração Ilustração

Em Maceió, 12 corpos estão aguardando a liberação do Instituto Médico Legal – IML, após primeiro dia de greve dos médicos legistas no Estado.

 

Os funcionários do instituto disseram que os 30% de serviços obrigatórios não estão sendo mantidos. Até agora, oito corpos se encontram nas “geladeiras”, e quatro aguardam no chão do IML da capitalOs médicos aguardam uma posição do Estado. Na declaração da greve foi determinado que somente as perícias, em caso de flagrante de delito e estupro, serão feitas. 

 

Na manhã de quinta-feira (21) o diretor do Instituto Médico Legal de Maceió,  Luíz Antônio Mansur, em entrevista a imprensa, revelou a decisão de iniciar a greve. O estado dispõe de 30 médicos legistas, destes 16 são do IML (Instituto Médico Legal) de Maceió e 14 de Arapiraca, atualmente todos os médicos estão em greve, eles reivindicam melhorias na estrutura física do Instituto e reajuste salarial.

 

Luíz Antônio destacou que as dificuldades são históricas e responsabilizou gestões anteriores pelos problemas enfrentados. Já Wellinton Galvão presidente do Sindicato dos Médicos de Alagoas (Sinmed/AL) disse que a principal reivindicação dos profissionais é estrutural, porque segundo ele os médicos precisam de um local melhor para realizar os procedimentos legais.

 

O Instituto de criminalística (IC) deverá paralisar suas atividades até o final desta semana. As reivindicações são por melhores condições de trabalho e reajuste salarial. 

 

Comentários (0)

Deixe seu comentário

O seu comentário será exibido após a aprovação da nossa equipe.