Voltar ao topo
Cerutti s
Busca
Previsão do Tempo
Maceió/AL
Máx. 28° Min. 21°
Redes Sociais
Brasil/Mundo
  • Orkut Button Share

Estudantes da Unifesp são soltos após decisão judicial

Alunos foram presos durante um protesto no campus de Guarulhos. Grupo disse que ficou sem dormir na sede da Polícia Federal.

16 de Junho de 2012 11:00

G1

Tamanho do texto A+ a-
       
Estudantes da Unifesp são soltos após decisão judicial

Estudantes da Unifesp que estavam presos comemoram ao deixar a sede da Polícia Federal, na Zona Oeste de São Paulo (Foto: Marcelo Mora/G1)

Estudantes da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), presos durante um protesto no campus de Guarulhos, foram soltos na noite desta sexta-feira (15).

A libertação ocorreu após a Justiça Federal de Guarulhos conceder um alvará de soltura aos alunos. A decisão, consultada pelo G1 através do site da 1° Vara da Justiça Federal de Guarulhos, beneficia os 22 estudantes.

De acordo com o advogado Pedro Ivo Iokoi, os estudantes foram liberados sob a condição de comparecer na próxima segunda-feira (18) na sede da Justiça Federal de São Paulo para assinar um termo de compromisso de comparecimento aos autos judiciais. Segundo ele, os alunos responderão por danos materiais e constrangimento a terceiros, já que, ao conceder o álvara de soltura, o juiz da 1ª Vara da Justiça Federal de Guarulhos desqualificou o crime de formação de quadrilha.

A estudante do 4º ano do curso de Letras Laisy Natali Cruxen, de 24 anos, disse que todo o tumulto teve início após ela ter sido agarrada por trás, com uma "gravata", golpe que imobiliza a pessoa, e arrastada até um carro por um policial militar. "Era um protesto pacífico. Não sei por que ele me agarrou. Foi de surpresa. Depois disso, o pessoal tentou interferir e começou toda a confusão. Começaram a soltar bombas, vi gente ensanguentada", contou.

A estudante disse ao G1 que ela foi agredida depois de já ter sido imobilizada. "Quando está atrás no carro, levei tapa na cara de um policial e estou com um hematoma nas costas", afirmou.

Ela disse que reconheceria o PM que a teria agredido com tapas no rosto. Laisy disse que deverá conversar com o advogado Pedro Iokoi e com a família para decidir se entrarão com uma ação de indenização por danos morais contra o governo do estado por ter sido agredida.

Vinte e cinco manifestantes foram levados para a sede da PF após serem presos pela Polícia Militar durante uma manifestação na tarde de quinta-feira. Segundo a Polícia Federal, 22 estudantes foram autuados em flagrante pelos crimes de dano ao patrimônio público, constrangimento ilegal e formação de quadrilha.

Outros três estudantes que já tinham sido liberados contaram ao deixar a PF que o grupo ficou a noite sem dormir em um auditório do prédio da sede da corporação.

Reivindicações

Os estudantes estão em greve há cerca de 80 dias para reivindicar uma melhor infraestrutura para o campus.

Eles pedem a construção de novas salas de aula, a reforma do restaurante universitário e o encerramento de um processo criminal contra cerca de 40 alunos que começou em 2008 devido a um protesto contra a direção da Unifesp em um dos campi da universidade.

No fim de maio, um grupo de estudantes invadiu um prédio do campus em Guarulhos e tiveram de deixar o local. Segundo eles, a polícia esteve presente e alguns estudantes foram presos. Na quinta-feira, eles organizaram uma assembleia e fizeram um ato no entorno do campus

Comunicar erros nesta notícia
  • Comente essa notícia

  • Comentários:

    SILVIO disse em 16/06/2012 as 19:30

    Eles deviam sair , eram envergonhados, que futuro tem esses jovens.

    Deixe seu comentário:













Serviços
© Copyright 2011 Alagoas em Tempo Real
VG/Web - Agência Digital